SEGUROS DE PETRÓLEO: ENTENDA A IMPORTÂNCIA PARA PROJETOS OFFSHORE

No cenário dinâmico da indústria de petróleo, onde operações offshore representam uma parcela significativa dos empreendimentos, a gestão eficaz dos riscos torna-se essencial. 

Nesse contexto, os seguros de petróleo emergem como pilares fundamentais para garantir a resiliência e o sucesso de projetos realizados em ambientes desafiadores.

As empresas envolvidas no segmento buscam de todas as maneiras minimizar os problemas e encontram na contratação de seguros uma forma de proteção.

Infelizmente, os acidentes acontecem e situações que envolvem perdas de materiais fazem parte da realidade dessas companhias, resultando em atrasos nos projetos e gerando grandes prejuízos para a indústria petroleira e demais envolvidos.

Neste artigo, entenda quais são os principais desafios enfrentados pelas indústrias de óleo e gás no Brasil, assim como a importância dos seguros de petróleo para as organizações do setor.

O que são projetos offshore?

Os projetos offshore são aqueles localizados no mar, onde um bom exemplo estão nas imensas plataformas que fazem parte da paisagem dos oceanos e que tem por objetivo a captação de petróleo e geração de energia.

No Brasil, essas plataformas são voltadas a produção de óleo e gás, e estão concentradas nos seguintes estados:

  • Rio de Janeiro,
  • Espírito Santo,
  • Ceará,
  • Rio Grande do Norte.

Quais são os principais desafios e riscos do setor de óleo e gás no Brasil?

O ramo de óleo e gás é um dos setores mais cruciais da economia brasileira, contribuindo significativamente para o PIB industrial (15%) e as exportações do país. 

No entanto, o setor enfrenta diversos desafios que afetam sua competitividade e sua capacidade de crescimento e desenvolvimento. 

É crucial que os líderes saibam gerenciar esses problemas de forma eficiente para superá-los. Dada a importância, abaixo destacamos alguns dos principais obstáculos enfrentados pelo setor de óleo e gás: 

Regulamentações

É evidente que o primeiro passo para empresas iniciantes no setor é garantir a conformidade com todas as normas estabelecidas pelo Governo Federal. Além disso, há uma séria responsabilidade em relação às regulamentações ambientais. 

Da produção ao transporte e distribuição, é essencial priorizar as melhores práticas sustentáveis. Isso não apenas atende às expectativas de clientes, parceiros e fornecedores, mas também reduz os impactos ambientais significativos das operações de óleo e gás.

Em termos de legislação ambiental, a Lei 6.938/81, Constituição Federal, Resoluções CONAMA 1/86 e 237/97 e Lei Complementar 140/2011 oferecem detalhes sobre os deveres a serem cumpridos pelas empresas.

Competição

O setor de óleo e gás é intensamente competitivo, com empresas de todo o mundo disputando participação no mercado. Oferecer preços competitivos e garantir produtos e serviços de alta qualidade são requisitos essenciais para se destacar nesse mercado global.

Outra estratégia para se diferenciar da concorrência é demonstrar compromissos sociais e ambientais aos consumidores – compromissos que sejam genuínos e comprováveis.

Volatilidade de preços

O mercado global de petróleo é altamente volátil, com preços que podem flutuar significativamente em curtos períodos. Essa volatilidade pode impactar a rentabilidade das empresas do setor, afetando sua capacidade de competir. 

Portanto, é responsabilidade dos líderes implementar uma gestão financeira eficaz para lidar com essas variações sem prejudicar a saúde financeira da empresa.

Deficiência de investimento em infraestrutura

Manter uma infraestrutura sólida no setor é um desafio complexo, repleto de detalhes que os empreendedores precisam explorar e estudar. Ignorar esse aspecto pode resultar em prejuízos, como:

  • Acesso limitado aos mercados, resultando em poucas oportunidades para conquistar clientes;
  • Ameaças à segurança, com exposição a roubos, sabotagem ou outros incidentes que possam comprometer a proteção da empresa e de seus funcionários.

Para evitar esses problemas, as empresas devem investir desde o início em uma infraestrutura que atenda às normas vigentes e a segurança em todos os níveis da organização.

Qual a importância dos seguros de petróleo?

Os seguros de petróleo são fundamentais para garantir a proteção do patrimônio das empresas. Um dos casos de maior repercussão neste segmento no Brasil foi o acidente da P-36, em 2001, na Bacia de Campos, quando uma explosão ocasionou a perda total da plataforma, onde 11 trabalhadores perderam suas vidas e os prejuízos alcançaram os US$ 350 milhões.

A estimativa é que a Petrobrás, proprietária da estrutura, tenha recebido uma indenização que alcançou os US$ 500 milhões.

Outro acidente de grandes proporções envolveu a BP de Macondo, quando em 2010 uma explosão levou a óbito 11 pessoas e 5 milhões de barris de petróleo foram derramados no Golfo do México. Esse poço foi declarado oficialmente extinto pelas autoridades norte-americanas, quando após o acidente foi selado pela empresa britânica BP, a proprietária do empreendimento.

Os seguros de petróleo possibilitam a proteção de riscos ligados às operações na exploração desse produto em terra e no mar, envolvendo prospecção, exploração, perfuração e produção.