GERENCIAMENTO DE RISCOS EM PROJETOS: O QUE É E COMO APLICAR

A gestão de riscos em projetos é um elemento fundamental para o sucesso de qualquer empreendimento. A capacidade de identificar, avaliar e mitigar riscos potenciais pode ser a diferença entre um projeto bem-sucedido e um que enfrenta desafios significativos.

As estratégias de gerenciamento de riscos podem ajudar a prevenir problemas, economizar recursos e garantir que os objetivos do projeto sejam alcançados de maneira suave e eficiente.

Neste artigo, exploraremos em profundidade o conceito de gerenciamento de riscos em projetos, discutindo o que ele envolve e como pode ser aplicado de maneira eficaz. 

O que é gerenciamento de riscos?

O gerenciamento de riscos envolve a análise, avaliação e controle de possíveis ameaças financeiras, legais e de segurança que podem afetar o desempenho financeiro e operacional de uma organização. 

Esses riscos podem surgir de várias fontes, como incertezas financeiras, responsabilidades legais, erros de estratégia de gestão, acidentes ou eventos naturais.

Quando uma organização não está preparada para lidar com um evento inesperado, os impactos podem variar de insignificantes, como um aumento moderado nos gastos, como um ônus financeiro significativo ou até o encerramento das atividades comerciais.

O que é risco?

Seguindo as diretrizes do Guia PMBOK, considerado como a base do conhecimento em gestão de projetos, a definição de risco é a seguinte:

“Risco é um evento ou condição incerta que, caso ocorra, pode ter um impacto tanto positivo quanto negativo em um ou mais objetivos do projeto, como escopo, prazo, custo e qualidade.”

Os riscos podem assumir diversas formas, como ambientais, sociais, econômicos, operacionais, legais, tributários e regulatórios, entre outros. Alguns exemplos que podem afetar as organizações de todos os setores são os acidentes de trabalho, incidentes ambientais, incêndios, atos de sabotagem, roubos, furtos e assaltos, má gestão financeira, atos de fraude, problemas logísticos etc.

O que é o gerenciamento de riscos em projetos?

O gerenciamento de riscos em projetos consiste em uma série de medidas destinadas a aumentar as probabilidades de sucesso na conclusão de um projeto.

De acordo com as diretrizes do PMBOK, existem sete processos fundamentais para o efetivo gerenciamento de riscos:

  • Planejamento do gerenciamento de riscos;
  • Identificação de riscos;
  • Análise qualitativa de riscos;
  • Análise quantitativa de riscos;
  • Planejamento de respostas a riscos;
  • Implementação de respostas a riscos;
  • Monitoramento de riscos.

Muitos desses processos podem ocorrer simultaneamente e serem repetidos durante a gestão do projeto, uma vez que a natureza dos riscos pode evoluir ao longo do tempo. Cada um deles é crucial para uma abordagem abrangente e eficaz no gerenciamento de riscos, uma vez que envolvem diferentes ferramentas e técnicas adaptadas às necessidades específicas de cada estágio do projeto.

Como aplicar o gerenciamento de riscos em um projeto?

Para realizar uma gestão eficaz de riscos em projetos, conforme descrito no PMBOK, é crucial iniciar com o planejamento. Este plano tem o objetivo de estabelecer diretrizes gerais e requisitos fundamentais para a gestão de riscos em um projeto.

Ele funciona como um documento complementar que oferece uma estrutura e um conjunto de orientações que ajudam a estabelecer uma abordagem sistemática para lidar com os riscos. As etapas chave que compõem o plano de gerenciamento de riscos incluem:

  1. Faça o planejamento do gerenciamento 

Esta etapa envolve a definição de como os riscos serão tratados, incluindo a escolha da metodologia e das ferramentas a serem utilizadas. Essas informações devem ser registradas em um plano, assegurando que o controle seja proporcional à gravidade dos riscos do projeto. 

  1. Identificação de riscos

Essa fase envolve mapear os riscos individuais e gerais do projeto, juntamente com suas características. A equipe deve ser envolvida em reuniões para engajamento no controle de riscos. A descrição dos riscos deve ser clara e livre de ambiguidades. Diferentes técnicas, como brainstorming, entrevistas, checklists, análise de causa raiz e matriz SWOT, podem ser empregadas para identificá-los. 

  1. Análise qualitativa de riscos

Nesta etapa, os riscos identificados são priorizados com base em sua probabilidade de ocorrência e impacto nos objetivos do projeto. Além disso, outros parâmetros, como urgência e gerenciabilidade, podem ser avaliados, dependendo da natureza do projeto.

  1. Análise quantitativa de riscos

Esta etapa envolve a avaliação numérica dos impactos que os riscos priorizados podem ter nos objetivos do projeto. Técnicas como simulação, análise de sensibilidade e diagramas de influência podem ser aplicadas para determinar, por exemplo, quanto tempo o projeto atrasaria ou quais seriam os custos adicionais em caso de ocorrência de determinado risco.

  1. Planeje as respostas aos riscos

Consiste em desenvolver estratégias e ações para lidar com os riscos identificados, com base em sua relevância e orçamento. Essas respostas devem minimizar ameaças, maximizar oportunidades e reduzir a exposição geral do projeto aos riscos.

  1. Implemente as respostas aos riscos

Significa executar os planos de ação desenvolvidos para lidar com os riscos, garantindo que tudo ocorra conforme planejado. A integração da implementação das respostas aos riscos à gestão do projeto pode ser facilitada com o uso de software de gestão de projetos.

  1. Monitore os riscos

Envolve acompanhar a exposição do projeto aos riscos, identificando o momento ideal para executar as respostas planejadas. Também verifica se as respostas estão sendo eficazes e se surgiram novos riscos ao longo do projeto. Esse monitoramento pode ser realizado por meio de reuniões e auditorias.

Como os seguros corporativos podem contribuir para o gerenciamento de riscos em projeto?

Os seguros corporativos desempenham um papel fundamental no gerenciamento de riscos em projetos, pois oferecem proteção financeira contra uma série de eventos adversos que podem impactar negativamente o andamento e o sucesso de um projeto.

Eles complementam as estratégias de gestão de riscos e são uma ferramenta importante para mitigar os impactos adversos que os eventos imprevistos podem ter em projetos empresariais.

Os seguros de responsabilidade civil, por exemplo, podem proteger contra reclamações e litígios decorrentes de danos a terceiros ou lesões durante a execução do projeto, sendo especialmente relevante em projetos de construção civil e engenharia.