COMO AVALIAR OS RISCOS DO SEU NEGÓCIO

A avaliação de riscos desempenha um papel crucial na jornada de qualquer empreendedor ou gestor de negócios. Em um ambiente empresarial cada vez mais dinâmico e complexo, identificar, analisar e mitigar os riscos associados às operações comerciais é fundamental para garantir a sustentabilidade e o sucesso a longo prazo. 

Neste artigo, exploraremos em detalhes o processo de avaliação de riscos, assim como os insights valiosos sobre como implementá-lo de maneira eficaz em seu negócio. Confira!

O que é avaliação de riscos?

Em termos simples, a avaliação de riscos é um procedimento que visa identificar as áreas mais vulneráveis de uma organização ou atividade e desenvolver planos adequados para reduzir ou enfrentar essas vulnerabilidades. 

Empresas e empreendimentos enfrentam diversos tipos de crises, que podem ser relacionadas a operações, finanças, tecnologia, questões humanitárias, questões legais, reputação e saúde pública. Portanto, é responsabilidade dos líderes empresariais fornecer ferramentas e estratégias para lidar com essas situações.

De acordo com Bandarovsky, a gestão de risco não deve se concentrar apenas na identificação das ameaças que uma organização enfrenta, mas deve priorizar as medidas preventivas para evitar que esses eventos ocorram e estabelecer planos de resposta caso eles ocorram de fato.

Quais são os objetivos da avaliação de riscos?

O ERM (Enterprise Risk Management), uma abordagem desenvolvida pelo COSO (Comittee of the Sponsoring Organizations of the Treadway Comission) e uma referência global em gestão de riscos, estabelece seis objetivos fundamentais para esse processo:

  • Alinhar apetite a risco e estratégia: combinação da compreensão do apetite a risco de uma organização (ou seja, a disposição para assumir riscos em busca de seus objetivos) com uma análise estratégica baseada nas práticas de gestão de riscos;
  • Fortalecer decisões em resposta aos riscos: criar procedimentos rigorosos para identificar e medir riscos, bem como definir medidas apropriadas para enfrentá-los de forma eficaz;
  • Reduzir surpresas e prejuízos operacionais: aqui, o foco está na redução da incerteza, identificando eventos potenciais e implementando respostas adequadas para minimizar os custos econômicos, operacionais e de reputação associados a ameaças;
  • Identificar e gerenciar riscos múltiplos e entre empreendimentos: desenvolver abordagens integradas e eficazes para eventos que possam impactar vários setores ou unidades de negócios dentro de um grupo empresarial;
  • Transformar a incerteza em oportunidades: antecipar incertezas, tanto positivas quanto negativas, para informar a tomada de decisões críticas e aproveitar oportunidades competitivas;
  • Otimizar o capital empregado: isso envolve uma avaliação eficaz dos investimentos necessários diante das incertezas, alocando o capital de forma eficiente para eliminar desperdícios e insuficiências.

Esses seis objetivos compõem a estrutura do ERM, fornecendo diretrizes fundamentais para as organizações gerenciarem seus riscos de maneira abrangente e estratégica.

Quais são as etapas de avaliação de riscos de um negócio?

Antes de iniciar o processo de gestão de riscos, é essencial definir o escopo da avaliação, os recursos necessários, as partes interessadas envolvidas e as regulamentações que devem ser seguidas. A seguir, apresentamos os cinco passos a serem seguidos:

Identificação de perigos

O primeiro passo para desenvolver um plano de avaliação de riscos é identificar quais tipos de riscos sua empresa ou equipe enfrenta. Isso inclui categorias como desastres naturais, riscos biológicos, acidentes no local de trabalho, eventos intencionais, entre outros. Observe cuidadosamente todas as atividades e processos, incluindo situações não rotineiras e colaboradores remotos.

Determinação dos afetados e das consequências

Para cada risco identificado, é crucial considerar quem pode ser afetado e de que maneira. Isso envolve pensar nas possíveis consequências para os funcionários, clientes, fornecedores e outras partes interessadas.

Avaliação e precauções

Após identificar os riscos, é necessário avaliar a probabilidade de ocorrência e o potencial impacto das consequências. Isso ajuda a priorizar os riscos e determinar onde é necessário tomar precauções para reduzi-los.

Registro das descobertas

A legislação exige que empresas com mais de cinco funcionários registrem seu processo de avaliação de riscos. Isso inclui documentar os riscos identificados, as pessoas afetadas e um plano para mitigá-los. O registro deve mostrar que uma avaliação adequada foi realizada, que medidas de controle foram implementadas e que a equipe foi envolvida no processo.

Revisão e atualização

O local de trabalho está em constante evolução, o que significa que os riscos também mudam ao longo do tempo. Novos equipamentos, processos e pessoas podem introduzir novos riscos. Portanto, é crucial revisar e atualizar regularmente o processo de avaliação de riscos para refletir essas mudanças e antecipar novos perigos.

Manter um registro atualizado e envolver a equipe na gestão de riscos ajuda a garantir um ambiente de trabalho mais seguro e a cumprir as regulamentações aplicáveis. É importante documentar todas as etapas desse processo para garantir a conformidade legal e a segurança contínua da organização.

Como utilizar uma matriz de riscos?

Para criar uma matriz de risco de forma eficaz, é fundamental seguir uma série de etapas bem definidas. Comece definindo critérios claros para avaliar a probabilidade e o impacto dos riscos. Eles devem ser adaptados à realidade da sua empresa e prezar pela clareza e coerência.

Escolha a ferramenta que será utilizada para construir a matriz de riscos. Você pode optar por métodos manuais, como papel e cartolina, ou por soluções digitais, como planilhas eletrônicas ou softwares de gestão de riscos.

Identifique os riscos específicos que afetam sua organização e avalie sua probabilidade e impacto de acordo com os critérios estabelecidos. Após classificá-los, é hora de buscar soluções. Realize reuniões com os colaboradores envolvidos para trocar sugestões e identificar as medidas práticas e financeiramente viáveis para controlar esses riscos.

A teoria por trás da matriz de risco deve ser aplicada na prática. Isso implica em agir com base nas soluções identificadas. O apoio e engajamento de toda a equipe são cruciais, pois todos devem se adaptar às mudanças. A comunicação transparente e clara sobre as mudanças é essencial para evitar confusões e erros durante a implementação.

Como os seguros corporativos podem contribuir para a avaliação de gestão de riscos?

Ter um seguro é essencial para uma gestão de riscos eficaz, uma vez que mesmo com um planejamento sólido, as empresas estão constantemente expostas a eventos inesperados que podem afetar suas operações. As opções de seguro disponíveis no mercado abrangem os mais diversos riscos e danos aos quais uma empresa está sujeita.

Esses seguros variam desde coberturas básicas até apólices combinadas que podem abranger todos os aspectos da atividade empresarial. Eles oferecem proteção contra uma variedade de situações, incluindo danos à propriedade, responsabilidade civil, perda de receita devido a interrupções, lesões no local de trabalho, entre outros.